Dúvidas sobre Sofás
 
1.Quais as medidas (altura e profundidade) que um sofá deve ter para ser confortável?
 
Verifique a profundidade real do assento (espaço ocupado para sentar), que deve ser no mínimo de 58 cm. A altura (que dá apoio às costas) precisa ser em torno de 45 cm. A chegada dos importados trouxe sofás com profundidade de 1 m, bem maiores que os modelos produzidos no Brasil. "Isso não quer dizer que esse tipo de estofado seja mais confortável, pois a profundidade real nem sempre atinge os 58 cm”. Braços finos economizam espaço - rolinhos podem ser usados para disfarçar a falta de volume.
 
2. Quais os cuidados que devem ser tomados na escolha do sofá-cama?

Tire as medidas do espaço do cômodo onde o sofá vai ficar e, antes da compra, considere a profundidade do sofá-cama quando aberto para saber se ele cabe no ambiente. Depois, avalie a espuma do estofado. "A densidade mínima indicada é 28", diz o designer Fernando Jaeger. Em alguns modelos, são usadas ainda persistas (mais resistentes do que as molas) na estrutura, que são tiras largas e elásticas, fixadas com presilhas de aço para sustentar a espuma. "No entanto, para conseguir uma base mais ergonômica, o ideal é usar uma chapa rígida de apoio para a espuma". Quanto aos mecanismos metálicos de abertura, vale observar se são leves e se as articulações estão bem presas. A maioria das fábricas usa tinta epóxi, que retarda a oxidação das armações. Assim, tecidos em contato com a ferragem não mancham.
 
3. Como deve ser a estrutura e a espuma do sofá?

A estrutura deve ser de metal ou de madeira resistente. Molas de aço ou persistas (tiras elásticas que lhe conferem maleabilidade) devem entrar na composição da estrutura. A espuma do assento sempre deve ser mais dura que a do encosto. Por último, não deixe de verificar se a garantia cobre todos os componentes do sofá.
rifique a profundidade real do assento (espaço ocupado para sentar), que deve ser no mínimo de 58 cm. A altura (que dá apoio às costas) precisa ser em torno de 45 cm. A chegada dos importados trouxe sofás com profundidade de 1 m, bem maiores que os modelos produzidos no Brasil. "Isso não quer dizer que esse tipo de estofado seja mais confortável, pois a profundidade real nem sempre atinge os 58 cm”. Braços finos economizam espaço - rolinhos podem ser usados para disfarçar a falta de volume. 

4. Como dispor uma manta no sofá?
Estofados de cor neutra podem receber mantas com estampa e cores fortes. "Um sofá bege, por exemplo, aceita mantas de tons escuros e quentes, como as variações de vermelho", segundo a decoradora Luciana Penna. Já sofás com cor mais forte ou estampas pedem mantas lisas, na opinião do tapeceiro Marcelo Spina. "Um sofá verde escuro fica muito bonito com uma manta na mesma cor em tom mais claro, por exemplo,", diz. Considere também o tipo de tecido. "Ele deve ser agradável ao toque e não pode escorregar", explica Luciana. Prefira as fibras naturais e faça uma arrumação simples: dobre a manta em formato retangular e coloque-a num canto ou no braço do sofá. 
 
5. Posso espalhar almofadas de tecido sobre um sofá de couro sintético branco?
A arquiteta Regina Adorno não vê problemas em usar almofadas de tecido em cima do sofá de couro branco, seja ele sintético ou natural. "Se a idéia é deixar o visual do móvel mais neutro, prefira almofadas de algodão cru", sugere. O decorador Alberto Lahós descarta os tecidos muito lisos, que podem escorregar sobre o couro. "Indico o veludo, o algodão e o chenile coloridos. O resultado ficará ousado." 

6. Quando as salas de estar e a de jantar são integradas, deve-se combinar o tecido do sofá e das cadeiras de jantar?

Não. "A mistura dá um resultado mais interessante", acredita a arquiteta Beatrice Goldfeld. Ela só sugere fugir das combinações óbvias, como adotar um motivo bicolor num ambiente e o negativo dele no outro. A arquiteta Fernanda Casagrande ensina um jeito fácil de casar os estofamentos: "Selecione uma estampa para as cadeiras, escolha um dos tons dessa estampa e use-o num tecido liso no sofá", diz. Se você preferir ter o mesmo revestimento nos dois ambientes, varie jogando almofadas de outro pano sobre o sofá.
 
7. Como limpar o couro sintético?
A melhor forma de limpar o couro sintético é usar um pano úmido com espuma de sabão de coco. Retire o produto com outro pano úmido e seque em seguida. "Deixar o material molhado causa manchas", explica Patrícia Braulio, vendedora da loja de tecidos Bauhaus. Se ainda assim a sujeira persistir, Cristina Melo, da Tecdec, recomenda esfregar a superfície suavemente com uma escova de lavar roupas e sabão de coco em barra. "Qualquer outro produto pode danificar o couro", explica, acrescentando: "Certas manchas, como a de caneta, não saem de maneira alguma".  

8. Sofá de couro é adequado para regiões muito quentes?


Não. Em regiões onde o calor é intenso, use tecidos naturais, recomenda o designer de móvel Fernando Jaeger. "O algodão protegido com teflon é uma ótima escolha. Ele tem um toque macio e fresco, e o tratamento impede a penetração da sujeira", diz. "Couro e camurça, tanto naturais como artificiais, são sempre mais quentes", diz. Mas, se você faz questão destes materiais, prefira o couro natural, pois ele respira e isso ameniza a temperatura. Jaeger lembra que há tecidos naturais, como os veludos e cheniles de algodão, que reúnem a aparência acamurçada e a boa sensação térmica. Além disso, levam vantagem no preço.
9. Quais os tecidos mais indicados para sofás que ficam em varandas ou áreas externas?
A equipe da Regatta Tecidos recomenda o couro náutico, um material sintético impermeável, antimofo e tratado com protetor solar. Outra opção são os tecidos impermeáveis, desde que você selecione um branco liso. "Os estampados e os coloridos são os que mais sofrem com o sol", afirma o arquiteto Roberto Riscala. Não use couro sintético (corvim), pois, exposto ao sol, o material pode trincar. E, segundo Riscala, uma regra mais eficiente para conservar estofados de áreas externas, seja qual for o material, é: "Retire as almofadas e guarde-as dentro de casa quando não estiver usando."


10. Quais os tecidos mais resistentes para quem tem animais de estimação?
Selecione tecidos de tramas bem fechadas, que agüentam melhor as unhadas e exigem apenas um pano umedecido na limpeza, como brins, sarjas e couros sintéticos. Materiais mais lisos como couro, couro vegetal e os tecidos impermeáveis (como a linha Acquablock, da Karsten) também são bons porque são práticos e resistentes à escovação, feita para retirar os pêlos. Sedas devem ser evitadas por serem muito delicadas. Na hora de lavar, se o tecido não tiver acabamento nas extremidades, Marcelo Spina dá a dica: "É possível impedir que os tecidos desfiem ou esgarcem com as unhadas e a lavagem freqüente costurando as pontas em uma máquina de overloque", diz. Compensa também investir na aplicação de impermeabilizantes nos tecidos para garantir a longevidade dos materiais. Veja a lista de quem presta esse serviço.

11. O que fazer para que meu gato pare de arranhar tecidos e móveis? 
"Eles arranham para brincar, afiar as garras e se comunicar. Em vez de eliminar esse hábito, disponibilize locais, como arranhadores, em que ele possa exibir seu comportamento sem fazer estragos. Vale tornar a área que ele unha desagradável com fitas adesivas dupla face. Outro truque é espirrar água na cara do bichano na hora da ação. Se nada disso adiantar, coloque ao redor do sofá um fio de náilon amarrado a um objeto barulhento, como uma tampa de panela. Ele levará um pequeno susto sempre que atacar a peça e desistirá com o tempo. Para garantir a eficácia do processo, ofereça um arranhador e agrade-o quando estiver agindo certo. Há quem diga que o dono pode até arranhar um pouco para que o gato aprenda por observação". Alexandre Rossi é zootecnista e etólogo (especialista em comportamento animal).
Art Vieira - Fone: (34) 3217 - 9893 /9147 - 0973 /9176 - 2807
Av. Paes Lemes, 548 - Martins - Uberlândia - MG - E-mail: contato@artvieira.com.br